PROJETO

Zoologico da UFMT – Cuiabá (MT) – 2004

Nasceu após anos morando numa região cheia de belezas e encantos regionais.

Após a copa do mundo onde a cidade de Cuiabá foi sede de alguns Jogos, fica claro a diversidade de costumes, tanto dos visitantes quanto dos anfitriões.

Pela diversidade de costumes, este projeto procura subsidiar informações para o turista para que suas expectativas estejam alinhadas com a realidade regional.

As vivencias experimentada em diversas regiões Trouxeram experiências únicas e que devem ser propagadas para o mundo todo poder vivenciar.

A mentoría do projeto é realizada por um estrangeiro, nascido em Buenos Aires na década de 1960.
Em 1992, escolheu a cidade de Cuiabá, no estado de Mato Grosso, no Brasil para morar e desenvolver atividades.
Algumas das atividades na região foram ser professor em universidades privadas na área de tecnologia e empregado público.
Técnico em eletrônica e economista de formação, após algumas pós-graduações realizadas, tomou gosto pelo turismo natural e radical da região, descobrindo becos e recantos pouco explorados.
Por isso, sendo testemunha de tamanhas belezas naturais, ainda preservadas, o mentor decidiu sair da sua zona de conforto e partilhar com quem bem entender todo o que tem de bom por aqui.
A pesar da vontade da difusão das informações mato-grossenses, muitas pessoas bateram na tecla que o gringo no mato deveria mostrar os becos e recantos do turismo argentino.
Por esse motivo em Janeiro de 2020 é incluída a seção de informações das experiências argentinas, vivenciadas depois de décadas morando em Cuiabá e observando as paisagens como poderiam ser vistas por brasileiros.

Em eventos mundiais acontecidos que atraíram estrangeiros à região, foi observado, de forma empírica, o esforço realizado por muitos para bem receber quem não conhece esse canto da nação brasileira.
Infelizmente, a diversidade de culturas, não permitiram apreciar completamente as riquezas, fazendo dessa forma que o turismo, farto por sinal, seja uma fonte de recursos duradoura.
A necessidade da existência da geração e distribuição de renda por esta região, faz com que sejam procuradas todas as formas possíveis de acréscimo do PBI regional.
E o turismo é a mais básica das fontes de intercâmbio e renda que podem atrair pessoas, seja pelo mero prazer de admirar as riquezas, como também, para iniciação de empreendimentos que diminuam o desemprego e a concentração de renda regional.
Ainda que seja a divulgação mato-grossense ou a argentina, a ideia do projeto é publicação de experiencias praticando uma empatia com quem não tem conhecimento algum dos costumes de cada região. Obviamente que essa empatia é resultado das experiencias pessoais de quem mora e vive em ambos lugares. Portanto, permite compreender um pouco mais o sentimento e cultura de quem quer fazer um turismo inesquecível pelas belezas que podem ser vivenciadas.