Algumas informações sobre a Argentina

Na escolas portenhas, para alguns argentinos, em alguma época passada, o bombardeio de informações sobre o seu país é imenso. Porém, como disse Litto Nébia, na música “Quien quiera, oir que oiga” (“Quem queira ouvir que ouça”):

 

Si la historia la escriben los que ganan,
eso quiere decir que hay otra historia…
la verdadera historia…
quien quiera oir que oiga.

Se a historia e escrita pelos que ganham,
isso quer dizer que existe outra historia…
a verdadeira historia…
quem queira ouvir que ouça.

Independente do contexto que essa musica possui, pode levar ao turista a pensar que o que ele acha da república Argentina seja uma verdade absoluta. Mas, em muitas vezes pode não corresponder com sua visão.

A república Argentina é uma terra com muitas formas de ser e pensamentos. Claro é, como toda sociedade existem diferentes valores que fazem uma nação ter uma identidade.

O povo argentino, para muitos estrangeiros é muito particular. Sem entrar em analises Freudianas para compreender o comportamento humano, a cada passeio em cada beco argentino se encontra uma informação nova e única.

Como argentino que saiu do sei pais à umas décadas e que consegue olhar para a sua terra com outras formas de ver, aqui são apresentadas ao turista algumas visões que podem dar uma ideia do que pode ser encontrado.

Argentina vem de uma influencia espanhola (Sec. XVI) e que tentou ser invadida por algumas vezes por tripulações de navios Británicos (1806 e 1807).

O inicio de uma vertente patriótica regional, faz que em 1810 seja iniciada a Revolução de Maio que leva a independência argentina em Julho de 1816.

Todos esses fatos são mantidos na tradição argentina dos seus regimentos de exercito, na sua história e nos locais que ainda podem ser visitados em cidades históricas como Buenos aires, Tucumán, Mendoza, dentre muitas outras.

Com a migração europeia entre a segunda metade do século XIX e inicio do século XX, algumas cidade são influenciadas por grandes costumes, predominantemente, italianos e espanhóis.

Na segunda metade do século XX, argentina tem muitos perfis históricos de grande intensidade, mudando a sua identidade de tempos em tempos.

As suas cidades são imensamente cosmopolitas e por isso o turista não vai encontrar um ou outro perfil do país ou da sua gente.